Trajetória dos caminhões de 1986 até a atualidade

perigo alem de poluirem caminhoes eram quase nulos em seguranca foto divulgacao

Perigo Além de poluírem, caminhões eram quase nulos em segurança foto: divulgação

Nessa duas décadas e meia, nosso País presenciou montadoras convencionais crescerem (Mercedes-Benz, Scania, Volvo, Ford) através de autorizadas, como viu a presença de novas marcas, aos poucos, se inserindo no mercado de caminhões: Daff e International.

Porém, caminhões da década que nasceu o Suplemento, a de oitenta, rodam pelas estradas e eram o retrato da época: envelhecidos, menos seguros e não preocupada com o meio ambiente. Isso aliado a isso a uma falta de incentivo para o motorista autônomo. Atualmente, uma condição que, segundo a categoria, persiste.

 

Transformação

No entanto, o caminhão, a quem chamávamos de “bruto”, ultrapassou a imaginação até de quem já fez dele o seu ganha-pão há 27 anos. De máquinas “zuadentas” transformaram-se em unidades de trabalho capazes de interagir com o motorista e uma central – que no caso pode ser a transportadora – através dos atuais meios de comunicação, como a Internet, telefone celular e satélite. Ficaram mais fáceis de dirigir e o profissional perdeu a imagem de homem bruto, tratamento que no passado era ser um ato discriminatório para um profissional tão importante. Vilões da poluição, seja na cidade ou campo, os caminhões incorporam “tecnologia verde” para melhorar a atmosfera e a má propaganda. Os movidos a diesel, que foram produzidos no Brasil a partir de janeiro, tiveram que emitir 60% menos óxidos de nitrogênio (NOx) e 80% menos partículas em relação aos modelos de hoje. Além de menos poluentes, caminhões brasileiros serão mais seguros. Em 2014, isto é, no próximo ano, todos terão de sair de montagem equipados com freio ABS – a mesma exigência para carros de passeio.

O futuro é agora

Neste ano, todos os motores a diesel tiveram que seguir à nova legislação de emissão de poluentes. O Programa de Controle de Poluição do Ar por Veículos Automotores (PROCONVE P-7), instituído pelo Conama (Conselho Nacional do Meio Ambiente), equivalente ao Euro V, já está em vigor na Europa há algum tempo e em outros países do mundo.

Para quem não sabe, a norma do Euro V tem como objetivo diminuir as emissões dos poluentes dos veículos a diesel. Com a diminuição dessas emissões a poluição diminui, mas ainda não é a solução para todos os problemas. Todos nós temos que contribuir para o meio ambiente melhor.

Fonte: Diário do Nordeste