Restrição em vias será ampliada

DN
Até maio deste ano, 8.196 caminhoneiros foram multados pela AMC por trafegar em vias com restrição

Desde o dia 1º de março de 2010, a circulação de caminhões com tara acima de 2,5 toneladas em dias úteis, das 6h às 20h, está proibida em algumas ruas do Centro e da Aldeota, além das avenidas Beira Mar e Monsenhor Tabosa. Com o sucesso da ação, a Autarquia Municipal de Trânsito, Serviços Públicos e Cidadania (AMC) pretende estender a restrição para outras vias de Fortaleza.

Segundo o presidente do órgão, Fernando Bezerra, a AMC prevê a melhoraria de tráfego nas ruas de diversos bairros da cidade com a ampliação da iniciativa. “Quando um caminhão trafega por uma via movimentada, em horário de pico, acaba criando um congestionamento. Esta restrição ajuda o trânsito a fluir de uma maneira melhor”.

Fiscalização

 

Bezerra acrescenta que as novas vias em que a passagem de caminhões será proibida ainda estão sendo estudadas. A expectativa é de que as restrições aconteçam entre 6h às 20h. O presidente da AMC informa que, hoje, a fiscalização do tráfego é realizada pelos agentes de trânsito da Autarquia. Mas, em breve, câmeras serão utilizadas para ajudar neste controle.


Até maio deste ano, a AMC aplicou 8.196 multas em caminhoneiros que trafegavam em locais proibidos. Em 2010, foram contabilizadas 579 penalidades. Neste ano, apenas 155 multas foram emitidas, representando uma diminuição de 73,22%. Fernando Bezerra explica que esta redução acontece por conta da adaptação dos motoristas à situação.

Para colocar a ideia de novas proibições em prática, já foram realizadas reuniões com a Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor), a Polícia Rodoviária Federal, o Porto do Mucuripe, a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) e o Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas e Logística (Setcarce). Os encontros discutiram como serão feitas as proibições e quais os corredores onde a restrição deve ser realizada.

O empresário, Pedro Rocha, comenta que vem observando uma boa melhora no trânsito das ruas onde não passa mais caminhões. “Antes eles ficavam parados descarregando ou fazendo manobras. Agora eles não aparecem com medo de levar multas”.



Fonte: Diário do Nordeste