Placas que alertam sobre radares não são mais obrigatórias

fiscaeletronicabr

 

 

As novas regras para a fiscalização por radares fixos e móveis não devem surtir maiores efeitos nas vias inspecionadas pela Prefeitura. A resolução 396 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), em vigor desde a última quinta-feira, 22, retira a obrigatoriedade de aviso para radares eletrônicos. Segundo o presidente da Autarquia Municipal de Trânsito (AMC), Fernando Bezerra, não haverá mudanças na Capital.

 

“A resolução não trará nenhuma consequência, pelo menos não das vias fiscalizadas pela AMC”, reitera. Bezerra garante que a autarquia não deve retirar a sinalização já existente. Para novos radares e fotossensores, o aviso será posto nos mesmo moldes em que funcionam hoje. Horizontalmente, com o lembrete na pista, e verticalmente, com as placas de aviso do monitoramento eletrônico.

 

“Eu concordo com a medida do Contran. O que tem acontecido é que muitos motoristas só diminuem a velocidade quando há um equipamento eletrônico”. Um pequeno teste, realizado ano passado, constatou esse dado. A AMC utilizou radares móveis logo após os fotossensores, sem consequências para os motoristas. Poucos metros após a fiscalização, a tendência é de o motorista retomar a alta velocidade. “O motorista que respeita as regras não tem com o que se preocupar”.

 

O entregador Valdemir Tomé de Sousa, 29 não concorda. Para o motociclista é fundamental que o condutor tenha conhecimento de toda e qualquer possibilidade de ser punido. Para ele, a falta de aviso de fiscalização eletrônica pode aumentar o número de acidentes. “O motorista pode frear bruscamente quando vir o fotossensor e acabar causando uma batida”.

 

Em Fortaleza, existem 170 fotossensores em semáforos, 78 ao longo das vias e dois radares móveis. De acordo com o presidente da AMC, pelo menos 100 novos aparelhos estão em licitação e devem entrar em funcionamento até o meio de 2012.

Rodovias

Já nas rodovias estaduais e federais no Ceará, ainda não foi definido o modo como deve acontecer a fiscalização. Segundo a diretora de Planejamento do Departamento Estadual de Trânsito do Ceará (Detran), Lorena Moreira, uma reunião deve ocorrer até a próxima semana com o conselho do órgão para definir a implantação. “Vamos cumprir. Todas as medidas que vêm para ajudar a diminuir o número de acidentes e mortes nas rodovias é bem-vinda”. Sob o comando estadual, em todo o Ceará, existem 295 radares fixos e 24 em fase de implantação. Outros quatro radares móveis contemplam 16 pontos no Estado.

A assessoria de imprensa da Polícia Rodoviária Federal (PRF) informou que o trabalho já realizado nos trechos urbanos das rodovias federais não deve se modificar. O que deve ser avaliado é se os novos aparelhos de fiscalização serão ou não sinalizados.

 

ENTENDA A NOTÍCIA

Os órgãos de trânsito não terão mais de sinalizar o limite de velocidade permitido antes dos radares. Fica valendo o que está no artigo 61 do CTB: automóveis, caminhonetes e motocicletas devem trafegar a 110km/h; ônibus e micro-ônibus, a 90km/h; demais veículos, a 80km/h.

 

Saiba mais

Onde houver o medidor de velocidade fixo, o uso dos equipamentos móveis e portáteis somente poderão ser usados a uma distância mínima de 500 metros em vias urbanas e trechos de vias rurais com características de via urbana e a dois quilômetros de vias rurais e vias de trânsito rápido.

A instalação de medidores de velocidade deve ser precedida de estudo técnico.

Resolucao 396 CONTRAN


Fonte: O Povo Online