EXPOLOG abre inscrições para Rodada de Negócios

A EXPOLOG -Feira Nacional de Logística está entre os eventos mais importantes e estratégicos para a cadeia de produtos e serviços do segmento no país. Com um espaço diferenciado, visa fomentar oportunidades de negócios, apresentar as tendências do mercado e incentivar, reconhecer e valorizar os profissionais do segmento.

Por mais um ano, reunindo os principais players do segmento de logística, transporte e comércio exterior do país, transportadoras, operadores portuários, empresas exportadoras, autoridades do setor, construtores, hidroviários e aduaneiras, o evento é a cada ano uma grande oportunidade para a troca de experiências e networking entre os principais nomes do setor. Ano passado, foram mais de 300 encontros de negócios reunindo empresas locais e internacionais com muitos negócios realizados em tempo real.

A rodada
Será realizada no dia 27 de novembro, das 14 às 18 horas em um espaço reservado dentro da feira.

Como efetivar sua inscrição
Preencha atentamente os dados solicitados neste formulário. (http://bit.ly/inscricao-rodada)

Prazo de inscrição
Lotes:
1º LOTE: R$ 250,00 – Vendas encerram no dia 07/11/2019
2º LOTE: R$ 300,00 – Vendas iniciam dia 08/11/2019 e encerram no dia 20/11/2019
Para mais informações: +55 85 9 9986-4151 (WPP)/ secretariace@cbpce.org.br

Fonte: CBPCE em 09.10.19

Compartilhar:

Produtividade da indústria cai com deterioração de acesso ao Pecém

Com prejuízos provocados por buracos na CE-155, que dá acesso ao Cipp, transportadoras já se negam a operar pelo trecho e setor produtivo busca alternativas para escoar produção. Movimentação de frutas pelo Pecém caiu

Buracos dificultam a chegada de insumos às indústrias do Complexo Industrial do PecémFOTO: KID JÚNIOR

Em um País dependente do transporte rodoviário, ter boas condições de tráfego nas estradas é essencial para a dinâmica econômica. Mas, não é o que tem acontecido em algumas rodovias que cortam o Estado. Na CE-155, o principal acesso de cargas ao Porto do Pecém, o percurso está tomado de buracos, dificultando a chegada de insumos às indústrias do Complexo Industrial e Portuário do Pecém (Cipp) e o escoamento da produção. De acordo com especialistas, a produtividade das empresas no local já caiu pela metade.

O presidente da Câmara Setorial de Logística (CSLog) da Agência de Desenvolvimento do Estado do Ceará (Adece), Heitor Studart, aponta que, além do aumento do frete, a produtividade das empresas foi comprometida em 50%. “Caminhões que antes faziam três viagens por dia agora só fazem uma. As transportadoras de cargas pesadas já estão se recusando a trafegar no trecho em virtude dos danos causados aos meios de transporte deles”.</CW>

Marcelo Maranhão, diretor institucional do Sindicato das Empresas de Transportes de Cargas e Logística do Estado do Ceará (Setcarce), revela que já há cargas de frutas que antes eram enviadas ao exterior a partir do Porto do Pecém e que agora estão sendo levadas para o Porto de Natal (RN).

“A CE-155 é o único acesso ao Porto do Pecém para veículos de carga e está em condições deploráveis. O custo para as transportadoras já cresceu na ordem de 30% a 35%. É muito significativo e estamos com dificuldade de repassar para as embarcadoras”, ressalta.</CW>

Comprovando a declaração de Maranhão, segundo relatório mensal do Terminal Portuário do Pecém, o volume de frutas, cascas de frutos cítricos e melões exportados caiu 44%, entre janeiro e agosto, em comparação a igual período do ano passado (15,9 toneladas ante 28,5 toneladas embarcadas). Ainda assim, o Porto do Pecém informou em nota que “não há registro, nem reclamação formal de uma empresa dizendo oficialmente ao Porto que está deixando de exportar cargas em virtude das condições das estradas”.

Além dos prejuízos com os veículos do transporte de carga, as indústrias ainda sofrem riscos de danos aos produtos. “Imagina uma pá eólica de 85 metros de comprimento passando por aquela rodovia cheia de buracos. O risco de danos ao produto é muito alto. Isso tem afastado as cargas e prejudicado tanto o Porto como o Complexo”, afirma Ricado Sabadia, diretor executivo da Associação das Empresas do Complexo Industrial e Portuário do Pecém (Aecipp).

Os trabalhadores da região também reclamam das condições da pista. O caminhoneiro Francisco Maranhão, que atua puxando container, revela: já faz cerca de um ano que a situação na CE-155 piorou.

“Tá péssimo. Todo dia rodo por aqui. Antes, dava duas viagens por dia, agora só faço uma, porque se não quebra o carro. Um trecho que antes eu fazia em, no máximo, 30 minutos, agora levo uma hora e 20 minutos. Semana passada mesmo, perdi um pneu, acabou meu rolamento, gastei R$ 1,5 mil”, reclama.

Histórico 

A licitação para duplicação da CE-155 foi finalizada em 2017, sob responsabilidade do extinto Departamento Estadual de Rodovias (DER). A empresa vencedora, no entanto, iniciou as obras e abandonou o projeto meses depois. A segunda colocada assumiu, e o abandono se repetiu. Em agosto, a Superintendência de Obras Públicas (SOP) assinou ordem de serviço para o reinício das obras. Dessa vez, está responsável pela duplicação o consórcio integrado pelas construtoras Locacon e Copa.

A SOP informou em nota que a retomada das obras de restauração e duplicação da CE-155 ocorreu em setembro. “Atualmente, estão sendo realizadas ações de terraplenagem para as novas pistas”, acrescenta o comunicado. A Pasta ainda detalha que o investimento é de R$ 62 milhões, com recursos do Governo Federal provenientes do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), e contrapartida do Estado. A Pasta prevê a conclusão da obra até o início de 2021.</CW>
Mesmo assim, o governador Camilo Santana afirmou que quer entregar o trecho o mais rápido possível. “Nesta semana fiz uma reunião sobre isso. Está bem adiantada. A expectativa é que a gente possa, o mais breve possível, entregar essa obra que teve alguns transtornos por conta das construtoras. É toda uma infraestrutura que temos procurado fazer para garantir que nossos investidores possam vir ao Ceará e dizer que nós temos boas estradas”, ressalta.

Projeto 

Apesar disso, Heitor Studart aponta que o serviço está sendo realizado muito lentamente. “Na nossa opinião, não começou ainda a recuperação. A Aecipp está pedindo ao Governo a apresentação do projeto para que sejam debatidas em conjunto as soluções para atender às necessidades do setor produtivo”, destaca.

O presidente da CSLog aponta que o projeto necessita ter alto nível, com vida útil de 15 a 20 anos. “É preciso que o dimensionamento de pavimento seja para carga pesada, que o desenho geométrico seja revisto, com faixas acessórias, faixa lenta, faixa de ultrapassagem, porque lá o trânsito é misto, tem automóveis e carga pesada”, afirma.
BR-116

Além da CE-155, a interdição dos quilômetros 60 a 90 da BR-116 para caminhões acima de 70 toneladas tem causado transtornos ao setor logístico. Studart aponta que, por conta dos desvios, o custo do frete deve subir pelo menos 15%. A alternativa sugerida pelo setor é que sejam utilizadas as rodovias estaduais, onde veículos com mais de 70 toneladas não podem trafegar, para reduzir o percurso.

“Tivemos reunião esta semana com o Governo, que não apresentou nenhuma solução imediata. Não podemos esperar mais 90 dias pela liberação da BR-116. Agora, vamos levar a questão à diretoria da Fiec para tentar levar o assunto diretamente ao governador Camilo Santana”, destaca.

Studart acrescenta que a interdição da BR-116 e o desvio tem contribuído para a redução de cargas enviadas ao Porto do Pecém.
“Determinada carga que sai de Quixeré, por exemplo, que é uma região de mineração, não vai pegar mais a BR-116 e o desvio, porque pode tomar a BR-304 e ir para o Porto de Natal. A tendência é a situação se agravar”, conclui.

Realizada Reunião do Foro Fiscal SEFAZ/SETCARCE

Realizada dia 25 de Setembro, na sede do SETCARCE, a reunião do FORO FISCAL  SEFAZ/SETCARCE, formada por representantes da SEFAZ e de transportadoras associadas ao SETCARCE.

Dentre os assuntos debatidos ressaltamos:

1. Disponibiliza recurso dentro do sistema da SEFAZ  para resolução do Termos de Retenção, (como é feito  na selagem das notas),  para que tenham soluções rápidas afim de evitar gerar Auto de Inflação;

  1. Resolução sobre devolução 2016 a 2018 e baixa de ICMS credenciamento apos prazo 60 dias;
  2. Necessidade de maior velocidade na Análise dos Processos;
  3. Baixas automáticas nas devoluções (mesmo quando o remetente emite a nota fiscal de entrada, o sistema não procede as baixas automáticas);
  4. Rapidez na resolução dos processos de alteração de valores nos cálculos dos impostos;
  5. Disponibilizar recurso no Sitram  para informação de GNRE pagas;

OUTROS ASSUNTOS:

  • Imposto lançado no credenciamento das transportadoras depois da entrega da mercadoria;

  • Alteração de código de receita onde o cliente tem pago, o imposto e valor fica em aberto(se pago não alterar);

 

Compareceram a reunião:

SEFAZ – Pedro Junior/CEFIT, Raimunda Elianir /SEFAZ, Ivanildo França/SEFAZ, Ana Virginia/CEFIT, Manoel Teobaldo/SEFAZ, José Francisco do Carmo/SEFAZ, José Carlos/CEFIT

SETCARCE /Clóvis Nogueira Bezerra  PRESIDENTE,  Dr. Fredy Albuquerque – Assessor jurídico SETCARCE, Simone Gerardi – BRASPRESS ,  – Romero Menezes – FEDEX ,- Edvar Lima – TERMACO ,- Convidada: Lana Chagas – PATRUS,-

Para maiores informações entrar em contato com a secretaria do SETCARCE. (85)3276.4118 –email: setcarce@setcarce.org.br

 

Presidente Clovis Nogueira participar da 84ª Reunião Ordinária da Câmara Setorial do Comércio e Serviços do Ceará.

Ocorreu hoje, 18/09, reunião ordinária da Câmara Setorial do Comércio e Serviços da ADECE – Agência de Desenvolvimento do Estado do Ceará.

O Presidente do SETCARCE Clovis Nogueira participar da 84ª Reunião Ordinária da Câmara Setorial do Comércio e Serviços do Ceará.

Foram deliberados os seguintes temas:

1 – Aprovação da Ata da 83ª Reunião;
2- Apresentação do Observatório da Indústria do Sistema – FIEC, com o foco
voltado para o segmento do Comércio e Serviços com o Sr. Sampaio Filho – Líder
do Observatório da Indústria e Guilherme Muchale – Gerente do Observatório da
Indústria;
3 – Outros assuntos demandados pela Câmara.

  • Diante das atuais restrições de tráfego de veículos de carga na BR 116, o SETCARCE, representado pelo seu Presidente Clovis Nogueira, por ocasião da reunião ordinária da Câmara Setorial do Comércio e Serviços da ADECE, abordou o tema junto ao Diretor de Desenvolvimento, Sr. Ricardo Sales, com vistas à urgente implementação de medidas eficazes ao restabelecimento das condições normais de tráfego na referida rodovia.

    Diante da relevância do assunto, a questão será submetida à apreciação da Secretaria do Desenvolvimento Econômico e Trabalho, na pessoa do Sr. Mais Júnior, a fim de que sejam verificadas alternativas e soluções às graves limitações enfrentadas pelo setor de transportes.

FETRANS inicia a 9ª edição da campanha Ônibus Encantado – SETCARCE UM DOS POSTOS DE COLETA

O Sistema FETRANS com parceria dos sindicatos do setor e rádio expresso Fm, inicia a 9ª Edição da Campanha “Ônibus Encantado”, que tem como objetivo arrecadar brinquedos e alimentos para serem doados a uma instituição beneficente em comemoração ao Dia das Crianças.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
A instituição contemplada este ano será a Associação João Cavalcanti Neto através do Projeto Joãozinho. O Projeto atende crianças carentes com faixa etária de 01 à 12 anos prestando apoio beneficente e assistência escolar.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
👉A arrecadação das doações acontece até o dia 09/out em um dos postos de coleta. Contamos com você 👍

⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Mais informações: (85) 3261.7066
fetrans@fetrans.org.br

 

Fonte: FETRANS.

 

SETCARCE se reúne com varias empresas do setor de Transportes de cargas, para tratar da Limitação de Tráfego de veículos de carga.

O Sindicato das Empresas de Transporte de Carga e Logística do Estado do Ceará – SETCARCE, aguarda confirmação para os próximos dias de reunião com o DNIT, DETRAN-CE e PRF com o objetivo de encontrar soluções urgentes quanto às restrições de tráfego de veículos de carga na BR-116.

O encontro que deverá contar, também, com a participação de várias entidades, tais como a, FETRANSLOG, FIEC e a ADECE.

Por força da realização de obras entre os quilômetros 69,8 a 98 da BR-116 (Ceará), o tráfego de veículos de carga foi restringido, gerando grandes limitações de entrada e saída de mercadorias pela principal via de acesso terrestre do Estado, tornando urgente a implementação de soluções que garantam o tráfego normal pela rodovia até a conclusão dessas obras, estimada para o final do mês de Dezembro desse ano.

O presidente do Setcarce e da Fetranslog, Clóvis Bezerra esteve presente na reunião de planejamento da 14ª Expolog 2019.

 

A última reunião do Comitê Técnico do XVI Seminário Internacional de Logística e da Expolog foi realizada nesta sexta-feira e teve os seus objetivos superados, pois reuniu 50 líderes do comitê realizador e patrocinadores do evento, que acontece nos dias 27 e 28 de novembro, no Centro de Eventos do Ceará.

“Conseguimos fazer a entrega do planejamento, resolver as últimas pendências e fechamos o plano final até o evento, para que seja o maior dos últimos 14 anos, contando com a presença dos maiores players dos setores de transporte e logística do Brasil e exterior”, disse Enid Câmara, promotora da Expolog.

O presidente do Setcarce e da Fetranslog, Clóvis Bezerra, afirmou que a NTC&Logística está organizando o calendário das feiras relacionadas com ela. “Aproveitei a oportunidade que tive, em Brasília, e coloquei a Expolog dentro do calendário a NTC também”, afirmou.

O presidente da Câmara Brasil Portugal Ceará (CBPCE), coronel Wandocyr Romero, afirmou que convidará os representantes das câmaras de comércio com quem possui contato para que participem da Expolog 2019.

Já o vice-presidente da CBPCE, Armando Abreu, destacou que serão lançados na Expolog dois eventos que acontecerão em 2020, sendo a IX Reunião Anual de todas as Câmaras de Comércio Portuguesas, a nível mundial, em Fortaleza, de 27 de abril a 3 de maio.

“Esse evento será muito bom para a capital cearense e, simultaneamente, acontecerá o X Encontro de Negócios em Língua Portuguesa, que trará representantes de diversos países para o Ceará”, ressaltou.

O presidente da AECIPP, Ricardo Parente, destacou a característica exportadora do Ceará, com castanhas de caju, camarão, frutas, e sugeriu a realização de um painel sobre a logística do agronegócio.

Por sua vez, o presidente da CT Log Ceará, Heitor Studart, disse que a interligação dos modais do Ceará com o Plano Nacional de Logística, deve ser abordado com o ministro dos Transportes, que foi convidado para o evento.

Já Karina Frota, do Centro Internacional de Negócios (CIN), ressaltou a importância de inserir o presidente eleito da FIEC, Ricardo Cavalcante na ambiência internacional pela qual a Expolog transita.

 

Fonte: Balada In com Edição SETCARCE.

Reforma tributária é debatida na CNT

A Confederação Nacional do Transporte realiza nesta quarta-feira (11) o Fórum de Debates CNT sobre as propostas de reforma tributária que tramitam na Câmara dos Deputados e no Senado Federal, bem como as consequências para a atividade transportadora. “É possível pensar em uma reforma unificadora de ambos os textos e que impacte positivamente o país, gerando empregos e abrindo vagas. Para tanto, os três pontos fundamentais são: simplificação, não aumento da carga tributária e segurança jurídica”, resumiu o presidente da Confederação Nacional do Transporte, Vander Costa, referindo às PECs nº 45/2019 e nº 110/2019.

Pesquisa realizada pela CNT com empresários do setor do transporte averiguou que a principal preocupação deles é a tributação excessiva. O levantamento revela também que 92,8% dos transportadores estão insatisfeitos com o Sistema Tributário Nacional; e que 93,1% apoiam a realização de uma reforma tributária. Contudo, ainda há desconhecimento sobre as diferenças propostas. A principal dúvida seria quanto ao desenho da IVA, o Imposto sobre Valor Agregado, que tende a substituir os cinco atuais tributos sobre bens e serviços (IPI, PIS, Cofins, ICMS e ISS).

Ao longo dos dois painéis da manhã, muitos questionamentos puderam ser dirimidos pelos palestrantes. Considerado o “mentor intelectual da reforma tributária”, o ex-deputado federal Luiz Carlos Hauly teve oportunidade de compartilhar seus estudos sobre o assunto e foi enfático em sua defesa de um entendimento abrangente. “Não podemos permitir uma meia reforma do Governo Federal. De gambiarra em gambiarra, já tivemos três grandes crises econômicas”, ressaltou. E afirmou que os principais problemas do sistema adotado no Brasil já estão mapeados: renúncia fiscal; sonegação; dívida ativa; corrupção; e burocracia tributária.

O senador Roberto Rocha, relator da PEC nº 110/2019, na Comissão Especial da Casa, ponderou que o texto do Senado tende a avançar mais rapidamente, mas que é “real a conexão entre as propostas”. O parlamentar tranquilizou o setor transportador a respeito de aspectos ainda não detalhados, sobretudo, quanto à possibilidade de a IVA vir a onerar serviços que antes estavam isentos ou com alíquota reduzida. “Estamos na linha de chegada para a apresentação do relatório. Nessa construção, a gente parte do princípio da justiça social”, garantiu, lembrando que a chamada regressividade é uma distorção do sistema brasileiro.

Já o deputado Aguinaldo Ribeiro, relator da PEC nº 45/2019, enfatizou o grande desafio é chegar a um texto equilibrado, que “não imponha o peso da reforma para um setor determinado, dessa forma, punindo a produtividade”. Para ele, a reforma “desbloqueará” o desenvolvimento do país e abrirá caminho para novas reformas. “Vai instigar, por exemplo, a administrativa. A partir daí, vai ser muito mais fácil ver a questão da gestão pública. E aí ficará mais claro o quanto o Estado custa para o cidadão”, pontou.

Além de Vander Costa, compuseram a mesa de abertura o senador Wellington Fagundes, presidente da Frenlogi (Frente Parlamentar Mista de Logística e Infraestrutura); e o ministro do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes.

FETRANSLOG – 07 DE SETEMBRO INDEPENDÊNCIA DO BRASIL