PPE – Para aderir a plano antidemissão, empresa deve provar aperto financeiro

O Governo já definiu as regras do Programa de Proteção ao Emprego (PPE). Decisão de incluir todos ossetores na medida animou representantes do Comércio, Serviços e Indústria

As regras do Programa de Proteção ao Emprego (PPE) foram divulgadas ontem pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) e serão publicadas no Diário Oficial da União de hoje.

 

De acordo com o Governo para aderir ao Programa, as empresas deverão provar que estão passando por dificuldades econômico-financeiras e que esgotaram as possibilidades de utilização do uso de banco de horas e período de férias, inclusive coletivas.

 

O PPE permite às empresas reduzir até 30% da jornada de trabalho e do salário de seus empregados,

 

Representantes do Comércio, Serviços e Indústria demonstraram mais ânimo pela abertura do PPE a todos os setores. mas criticam a burocracia. O presidente da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), Honório Pinheiro, ressaltou a importância do programa mas destacou que é tão burocrático que termina deixando dúvidas.

 

“Precisamos dar crédito e aguardar um pouco já que o custo de demitir é enorme”. O presidente do Sindicato do Comércio Varejista e Lojista de Fortaleza (Sindilojasfor), Cid Alves, concordou.

 

“Tudo que se fizer para evitar o desemprego deve ser apoiado mas as regras são muito difíceis de seguir pelos pequenos”.

 

Estratégia

O economista da Federação das Indústrias do Ceará (Fiec), Guilherme Muchale, avalia que a decisão de abrir o plano é positivo e os critérios razoáveis. “Mas sozinha não vai conseguir resolver o problema”, considera.

 

Ele adianta que a estratégia de aderir ou não ao PPE é individual mas acredita que seja positivo para muitas indústrias do Ceará que são intensivas em mão de obra. Os segmentos têxtil, de confecções e calçados geram mais de 120 mil empregos formais.

 

Para o presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Luiz Moan, o programa é estruturante e necessário para o momento. “Vamos continuar investindo sem dúvida neste País e o PPE é fundamental”, disse ele.

 

O ministro do Trabalho, Manoel Dias, reforçou que o momento exige um programa como esse: “O governo aposta muito nesse programa. Acho que o momento está merecendo a execução de um programa deste porte”.

 

O representante da Nova Central Sindical apoia o programa. “Eu acho que é preferível nós darmos um passo atrás para depois tentarmos dar dois passos adiante”, opina José Calixto Ramos, da Nova Central Sindical.

 

O PPE permite a redução da jornada de trabalho em até 30%, com diminuição proporcional nos rendimentos e complementação de 50% da perda salarial pelo Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT). Para o governo essa proposta permite a redução de R$ 70 milhões.

 

Para o professor Titular de Economia Social e do Trabalho da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Claudio Dedecca, o PPE carrega um conjunto de problemas que podem liquidar ou tornar residual sua principal virtude, a proteção ao emprego. (com agências)

 

SERVIÇO

 

Ministério do Trabalho e Emprego – MTE.
Onde:
 www.mte.gov.br/

 

Regras do PPE 

 

As empresas poderão celebrar acordos coletivos com os sindicatos para adesão ao PPE, estabelecendo a redução da jornada de trabalho e do salário

A empresa tem que provar que está em dificuldades econômico-financeiras e já ter esgotado o uso do banco de horas e do período de férias, inclusive coletivas

Podem participar empresas que, nos últimos 12 meses, contados do mês anterior à solicitação de adesão ao PPE, apresentarem resultados do Indicador Líquido de Emprego (ILE) de até 1%, calculado com base nos dados do CAGED/MTE:
ILE = Admitidos (12 meses anteriores) – Desligamento (12 meses anteriores) x 100
Estoque de Empregados no 13º mês anterior à solicitação do PPE

As empresas vão poder se inscrever, a partir de hoje (22/7), pela internet, no site oficial do Ministério do Trabalho

O governo vai analisar o ritmo de admissão e demissão da empresa com base no número total de funcionários

Obs.: empresas que não se enquadrarem nesse critério poderão encaminhar informações adicionais, que servirão de subsídios a eventual definição de novos critérios de elegibilidade pelo Comitê (CPPE).

Fonte: MTE

 

CONJUNTURA POLÍTICA – William Waack critica Dilma em palestra na Fiec

O apresentador do Jornal da Globo, o jornalista William Waack, chamou a presidente Dilma Rousseff (PT) de “incompetente” e “incapaz de governar”. Na análise de Waack, a crise é resultado de diversas decisões ruins do Executivo, em especial, no primeiro mandato da petista. 

 

As críticas foram feitas durante a sétima edição do Fórum Ideias em Debate, da Federação das Indústrias do Ceará (Fiec), realizado na Casa da Indústria.

 

“Subestimei a capacidade da Dilma de aprontar besteiras. A incapacidade dela de governar é extraordinária”, afirma. Conhecido por comentários ácidos contra o governo de Dilma, Waack admitiu que nunca entendeu porque o ex-presidente Lula a escolheu como sucessora e completou:

 

“A incompetência dela em algumas das decisões que tomou são de tal maneira surpreendentes que você se coloca na situação de um jogador de xadrez”, diz, em crítica a estratégias que seriam, conforme ele, claramente ruins.

 

Em tom mais brando, Waack explicou que o Brasil deveria ter feito mais reformas no passado e ter concluído reestruturações que “ficaram pela metade no governo de Fernando Henrique Cardoso”. “Apesar de tudo, acho injusto culpar somente o PT. Temos que levar a análise mais para trás”. comenta.

 

Sobre as medidas de ajuste fiscal, Waack diz que não há capacidade do governo de contornar a situação: “O que estamos vendo é somente a correção de burradas”.

 

Saídas

O jornalista buscou apresentar durante a palestra que proferiu – A Conjuntura do Brasil na Nova Ordem Econômica Mundial – soluções para os problemas em que o País está mergulhado. Segundo ele, mais que cobrar dos governantes, a população deve mudar de consciência e passar a acreditar em algo diferente, como no próprio poder de gerar riquezas.

 

“Infelizmente, só insatisfação não é garantia de que as coisas vão mudar para melhor”, argumenta. O deputado federal Danilo Forte (PMDB) esteve no evento e disse que aposta em discussões similares para encontrar saídas para o Brasil. “Questionar sempre é bom, não podemos ficar na letargia”, diz. (Isabel Filgueiras).

O Presidente do SETCARCE Clovis Nogueira Bezerra, esteve presente ao evento representando também a  FACIC-Federação das Associações do Comércio Indústria, Agropecuária e Serviços do Ceará

Fonte: Jornal O Povo com edição do SETCARCE

GARGALOS O que precisa melhorar para o Ceará exportar mais

Logística, estratégias e eficiência de órgãos que lidam com o mercado internacional são pontos para fortalecer as exportações do Ceará

Na agenda para melhorar os índices de exportação e a balança comercial do Ceará estão pontos para fortalecer em relação a estratégia, a logística e órgãos que lidam com o mercado internacional. No relatório elaborado pela Comissão de Comércio Exterior do Ceará (CCE-CE) esses problemas são apontados e a resolução passa pela articulação política, econômica e social para serem mudados.

 

Conforme pesquisa do Centro Internacional de Negócios (CIN) da Federação das Indústrias do Ceará, o Estado registrou déficit de US$ 76,5 milhões na balança comercial no mês de junho, com exportações se retraindo 69,1%, ante igual período de 2014. No ano, as vendas para o exterior caíram 36,1%.

 

Para Marcos Veríssimo, presidente do Conselho Temático de Relações Internacionais (Corin) da Fiec, não adianta ter localização geográfica se não há infraestrutura adequada em portos e aeroportos. “Nossa estrutura é precária também nas rodovias, por onde escoamos produtos até portos e aeroportos”. Ele defende mais rotas por ar e água. São cerca de 24 navios por mês para outros países partindo do Estado e, no aeroporto, quase 90% da carga é transportada pela TAP. “Temos a possibilidade da TAM entrar. Esse hub (centro de conexões de voos) seria muito bom, com mais 14 voos internacionais e 18 nacionais”.

 

Outras aberturas que estão sendo encaminhadas é a do canal do Panamá e da Nicarágua, que deixaria o Ceará mais próximo também da Ásia, sendo um hub marítimo. “Se abrir, vamos triplicar a movimentação no Porto do Pecém. Para isso, temos que construir mais berços e aumentar nossa capacidade”, avalia Marcos. O custo logístico também impacta, conforme atesta Edgar Gadelha, presidente do Sindicato das Indústrias Refinadoras de Cera de Carnaúba do Ceará (Sindicarnaúba-CE).

 

O superintendente do CIN/Fiec, Eduardo Bezerra, avalia que a quantidade de mercadoria do Ceará ainda não é suficiente para ampliar o serviço de cabotagem e mais rotas. “Não há carga porque não há serviço e não há serviço porque não há carga suficiente”. Mas, com a ampliação do canal do Panamá, que está previsto para o final de 2015, rotas que hoje saem de Santos poderão partir do Nordeste. “Isso trará grande economia com frete e tempo de viagem”, analisa Luiz Roberto Barcelos, presidente da Associação Brasileira dos Produtores Exportadores de Frutas e Derivados (Abrafrutas).

 

João Bosco Arruda, coordenador do mestrado de logística da Universidade Federal do Ceará (UFC) diz que esteve há pouco tempo visitando o terminal de cargas do Aeroporto Pinto Martins. Para ele, ainda há grande ociosidade para exportar. “Normalmente, se o produto não for perecível, o transporte mais barato é o marítimo, que usa o Porto do Pecém”, avalia.

 

NÚMEROS

 

76 mi

de dólares foi o déficit na balança comercial do Ceará em junho

 

36,1%

é a queda acumulada nas exportações do Ceará no acumulado de

2015

 

Gargalos e soluções para as exportações do Ceará

 

Estratégias

 

1 Ausência de promoção comercial estruturada dos produtos no exterior

Solução – Implantação pelo Governo do Estado de uma política para o comércio exterior com gestor e órgão responsável pela promoção comercial do Ceará no mercado externo

 

2 Cultura Exportadora incipiente

Solução – Criação e divulgação de programa de estímulo à exportação, envolvendo diversos órgãos do Governo; realização de campanha publicitária de estímulo à exportação aos empresários

 

3 Ausência de pontos focais e apoio às exportações no interior

Solução – Definição de pontos focais virtuais e presenciais, com capacitação e ampla divulgação aos empresários

 

4 Ausência de projetos específicos nos polos industriais

Solução – Estimular câmaras setoriais e temáticas a apresentar seus projetos e demandas para fomento à exportação

Logística

 

1 Ausência de linha marítimas para países africanos

 

2 Número reduzido de destinos internacionais atendidos via aérea

Solução (para ambos) – Realização de levantamento com empresas interessadas em confirmar demanda e oferta na origem e destino, bem como carga prevista; ação coordenada com o Governo Estadual junto às empresas de linha marítima e aérea e demais setores para viabilizar parcerias

 

Órgãos envolvidos

 

1 – Inexistência de regime de sistema simplificado pelo modal marítimo

Solução – Fomentar parceria entre Ministério da Fazenda, Mdic e Sefaz para desenhar proposta de regime simplificado

 

2 – Recursos humanos insuficientes nos processos de desembaraço aduaneiro

Solução – Articular com o Governo Federal para contratar profissionais necessários para funcionamento adequado do desembaraço aduaneiro, 24 horas, nos portos e aeroportos

 

3 – Dificuldade de entendimento e emissão de notas fiscais de exportação

Solução – Avaliar as dificuldades do processo atual, em conjunto com empresas, e realização de treinamento para interessados

Fonte: Jornal O Povo

TROFÉU CLÓVIS ROLIM – Comerciantes festejam no TJA

A noite de ontem foi de festa para os comerciantes, que comemoraram seu dia em solenidade no Theatro José de Alencar. No evento, também foi entregue o 30º troféu Clóvis Rolim a Jesualdo Pereira Farias, ex-reitor da Universidade Federal do Ceará (UFC) e atual titular da Secretaria de Educação Superior (Sesu) do Ministério da Educação.
A escolha foi feita pela Câmara dos Dirigentes Lojistas de Fortaleza (CDL) e pela Federação das CDLs (FCDL) do Ceará. “Jesualdo é uma pessoa que já recebeu muitos prêmios – nacionais e internacionais – e está sendo premiado agora, se destacando na Secretaria de Educação Superior, que é nobre para o nosso setor de comércio e um ícone regional”, diz Severino Neto, presidente da CDL.
Freitas Cordeiro, presidente da FCDL – que foi agraciado com o Troféu no ano passado, como presidente da CDL -, explica que a homenagem deste ano é um reconhecimento à atuação de Jesualdo na implantação da Faculdade CDL. “Este ano, entregamos o Troféu para uma personalidade destacada no mundo da profissão. Ele abraçou a educação como solução sustentável para o desenvolvimento do Estado e cedeu apoio fundamental na nossa Faculdade CDL”.
Sobre a efeméride, Severino Neto destacou que a importância da celebração da data. “O comércio está dentro do setor de serviços, que responde por 73,1% do PIB do Ceará. Com essa importância, o segmento merece ter várias percepções sobre esse dia e, sobretudo, do futuro do setor”.

O Presidente do SETCARCE, Clovis Nogueira Bezerra esteve presente ao evento representando também a FACIC-Federação das Associações do Comércio, Indústria, Serviços e Agropecuária do Ceará. O qual elogiou bastante o evento.

Fonte: Jornal O Povo – com edição do SETCARCE

 

 

Chip nos caminhões brasileiros vai combater o roubo de cargas

Recadastramento obrigatório começa em setembro, e deve durar um ano e meio. Chip vai custar R$50 para o caminhoneiro.

A partir de setembro, a Agência Nacional de Transportes Terrestres, a ANTT, vai instalar um chip nos caminhões brasileiros para ajudar a combater o roubo de cargas. E os caminhoneiros vão ser recadastrados.

Mais de um milhão de caminhões nas estradas. Só no ano passado, foram 17,5 mil roubos de cargas, prejuízo de R$1 bilhão.

A solução pode estar num sistema de rastreamento, semelhante aos que já existem nos Estados Unidos e na Europa, que vai verificar a situação do caminhão e da carga, impostos federais e estaduais.

Um chip como o mostrado no vídeo será lido, e as informações, comparadas com um banco de dados toda vez que um caminhão passar por um ponto da ANTT. Aí, já estará sendo feita a fiscalização, sem que seja preciso parar o caminhão.

Os dados também serão repassados para a polícia. Assim, vai ser possível saber que o caminhão procurado está cruzando aquele trecho da rodovia. O chip será fixado no para-brisas. E vai substituir o adesivo atual, colado na carroceria.

“Não vai ter como o ladrão falsificar, que vai estar no interior, lá dentro. Não sei se vai aumentar o custo também”, perguntou Francisco Cirino da Silva, caminhoneiro.

O chip vai custar R$50 para o caminhoneiro, que vai ter que se recadastrar. O recadastramento obrigatório começa em setembro, e deve durar um ano e meio.

“É uma maior segurança para a gente contra roubos de caminhões, roubos de carga ou o que seja”, disse um caminhoneiro.

O ponto de fiscalização é parecido com os radares. Em cinco anos, serão instalados 53. A meta é cobrir 75% das estradas mais importantes ao custo de quase R$8 milhões.

“Caso haja um roubo ou um furto de um veículo de carga, o órgão de segurança competente para fazer a investigação poderá solicitar à ANTT a qualquer momento as informações do nosso banco de dados de passagem para verificar se há ali algum indício que possa ajudar na investigação”, disse Marcelo Vinaud Prado, superintendente de Serviços de Transporte Rodoviário de Cargas – ANTT.

O especialista Flávio Benatti acha que a medida é um passo importante no combate ao roubo de cargas no país.

“É um divisor de águas no setor.  Haverá um controle muito mais efetivo da frota nacional e à medida que tiver o primeiro alerta sobre uma irregularidade naquele transporte, não tenha a menor dúvida que será muito mais fácil para as autoridades poderem atuar”, disse Flávio Benatti, vice-presidente regional Associação de Transporte de Carga e Logística.

Fonte: G1

Dívidas de financiamento de caminhões já podem ser renegociadas

Solicitações devem ser feitas junto aos bancos e protocoladas no BNDES até dezembro

Quem financiou a aquisição de caminhões e implementos rodoviários por meio dos programas Procaminhoneiro e PSI (Programa de Sustentação do Investimento) do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) já pode renegociar parte da dívida.

A possibilidade vale para contratos assinados até 31 de dezembro de 2014 e o pedido deve ser feito junto a instituições financeiras credenciadas pelo BNDES. Para saber mais, clique aqui.

Conforme circular publicada pelo Banco, têm acesso ao refinanciamento pessoas físicas do segmento do transporte rodoviário de cargas com receita bruta de até R$ 2,4 milhões.

Podem ser renegociadas as 12 primeiras parcelas de amortização com vencimento a partir da formalização da operação de refinanciamento pelo BNDES; ou as parcelas de amortização restantes com vencimento a partir da formalização da operação de refinanciamento, se em número menor que 12.

Será concedida uma nova carência de um ano a partir da formalização da operação de refinanciamento. A soma das parcelas de amortização renegociadas formará um novo saldo devedor, que será deduzido do saldo devedor do contrato original. A taxa de juros incidente será igual à do contrato original ou de 6% ao ano, a que for maior.

Natália Pianegonda

Agência CNT de Notícias

CONCILIAÇÃO FISCAL – Redução irá até 100%; parcelas até dez anos

Contribuinte poderá ter multas, juros e encargos de débitos estaduais reduzidos a zero. Total da dívida ativa do Estado é de R$ 6 bilhões

Os contribuintes, pessoas física e jurídica, com débitos tributários estaduais poderão pagar suas dívidas em até dez anos e com até 100% de desconto em multas, juros e encargos. As condições de pagamento foram anunciadas, ontem, pela Secretaria da Fazenda do Estado (Sefaz), e serão realizadas por meio do novo programa Conciliação do Débito Fiscal Estadual.
Aprovado por unanimidade, ontem, na Assembleia Legislativa do Estado do Ceará, o programa permitirá adesão do contribuinte a partir do próximo dia 27 até 31 de outubro. Podem aderir quem tem fatores geradores de dívidas até 31 de dezembro de 2014, em relação a ICMS, IPVA, ITCD e débitos não-tributáveis. A dívida pode ser paga à vista ou em três, cinco ou dez anos, com valor mínimo da parcela de R$ 200.
Para facilitar o processo de pagamento dos cerca de 250 mil contribuintes devedores, a Sefaz realizará, em parceria com o Tribunal de Justiça e bancos, um evento de conciliação no Centro de Eventos, do dia 13 a 16 de agosto. Nos quatro dias, haverá cerca de 100 funcionários da Sefaz, quatro juízes e três bancos para que contribuintes possam ter dívida quitada e, ao mesmo tempo, encerramento do processo que o Estado havia acionando contra o devedor. Pagamentos serão aceitos no sábado e domingo do evento.
“Estamos estudando a possibilidade de realizar esse evento no Cariri, em Juazeiro do Norte, e outro em Sobral. Para o Poder Judiciário é interessante para reduzir processos judiciais tramitando no Tribunal”, adianta Mauro Filho, secretário da Fazenda. Ele diz que o total da dívida ativa do Estado é de R$ 6 bilhões e que não há expectativa de arrecadação com esse novo programa de conciliação.

Condições
As condições impostas pelo Estado para a conciliação são: pagamento em dinheiro; dívidas geradas até 31 de dezembro de 2014; adesão até 31 de outubro; vencimento das parcelas no último dia útil do mês; parcela mínima de R$ 200; e desistência da demanda judicial por parte dos contribuintes que optarem pelo pagamento.
Pela primeira vez, parcelamento das dívidas não necessitará de garantias. Quem pagar à vista, o desconto é 100%. Em três anos, 80%; cinco anos, 70%; dez anos, 50%. “É o momento do Estado propor condições diferenciadas para que empresas voltem a se normalizar perante o fisco. Não só para elas trabalharem com tranquilidade, para vender mais, empregar mais, e participarem do processos licitatórios”, diz.

 

SERVIÇO

 

Conciliação Fiscal

Quando: adesão de 27 de julho a 30 de outubro de 2015
Onde: Unidades de atendimento Sefaz e Procuradoria Geral do Município
Conciliação Fiscal no Centro de Eventos

Quando: de 13 a 16 de agosto, das 8h às 17h
Saiba mais

Quem também está propondo redução de juros e multas em até 100% de débitos fiscais é a Prefeitura de Aquiraz O contribuinte que tiver dívida ativa com o município, poderá, ainda, parcelar em até vinte vezes o débito O programa de Redução Fiscal 2015 da Secretaria de Finanças do Município de Aquiraz (Sefin), prevê desconto de 40% nos juros e dívidas de quem optar pelo número máximo de parcelas

Os interessados em quitar a dívida devem procurar a Dívida Ativa do Município, no Centro Administrativo (Casa Verde), rua João Lima, 259, até o dia 31 de agosto deste ano

Fonte: Jornal O Povo

NEGOCIAÇÃO TRABALHISTA – 2015/2016

A Comissão que negocia a convenção coletiva de trabalho 2015/2016 representando as empresas de transporte de cargas e logística no estado do Ceará, esteve reunida na manhã desta terça-feira, na sede do SETCARCE.

 

CONVITE PALESTRA – RECUPERAÇÃO ADMINISTRATIVA DE PIS/COFINS NÃO CUMULATIVO – LUCRO REAL


CONVITE PALESTRA

 RECUPERAÇÃO ADMINISTRATIVA DE PIS/COFINS NÃO CUMULATIVO – LUCRO REAL

 

Convidamos os associados do SETCARCE para Palestra RECUPERAÇÃO ADMINISTRATIVA DE PIS/COFINS NÃO CUMULATIVO – LUCRO REAL, com o Dr. VALTUR MACHADO SCHIMITT, primeiro auditor independente do Brasil.

 O tema abordará a possibilidade de recuperação na instância administrativa de créditos do PIS/COFINS para empresas do Lucro Real que recolhem pelo sistema não cumulativo em razão das instruções normativas 247/2002 e 404/2004 da Receita Federal.

Antes da palestra será apresentado o EMPREENDIMENTO CONDOMÍNIO EMPRESARIAL DE LOTES NA BR 116 – BOX116-

 Box 116 está estrategicamente situado ao longo da rodovia principal BR 116 que une a capital Fortaleza com o resto do país e próximo a interseção da via com o novo e denominado Arco Metropolitano, que conecta diretamente com a nova zona industrial do Porto do Pecém.

box116

 

 Data: 16 de Julho – Quinta-feira

Horário: 8h 30 min.

Local: Auditório do SETCARCE.

 

 CONFIRME SUA PRESENÇA – FONE: 85-3276.4118 – email: setcarce@setcarce.org.br 

 

Quatro pessoas são presas por adulteração e roubo de combustível

Quatro pessoas foram detidas em uma operação da PRF em quatro distritos de Cascavel. O grupo era responsável por desviar caminhões da rota para adulterar e revender combustível para postos e consumidores

A operação Octano, deflagrada na madrugada de ontem, 3, pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), resultou na prisão de quatro pessoas acusadas de desvio, adulteração e comércio ilegal de pelo menos 12 mil litros de combustível, a maioria diesel e gasolina. As prisões ocorreram em quatro pontos localizados em Cascavel, a 64,1 quilômetros de Fortaleza. Os presos foram conduzidos para a Delegacia Metropolitana de Chorozinho, a 64 km da Capital. Duas pessoas não foram localizadas. No entanto, segundo a PRF, devem responder pelo crime.

A Operação Octano foi realizada após denúncias de desvio e furto de combustíveis de caminhões que transitam pela BR-116

 

Maria da Conceição da Silva Costa e Jairo César Pinheiro Nobre – sem idade identificada pela assessoria de imprensa da PRF – foram presos em flagrante no distrito de Cristais, em Cascavel. Na residência do casal, foram encontrados 2.800 litros de combustíveis (óleo diesel e gasolina) possivelmente adulterados, guardados em tambores de plástico. Amostras de todo o combustível encontrado devem ser enviadas para análise. Também foi achado um papagaio, sem autorização do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

 

Antônio Maia de Oliveira também foi detido em flagrante, no mesmo distrito. Além dos 860 litros de óleo diesel encontrados, possivelmente adulterados, foram apreendidos revólveres de calibres 38 e 33, 90 munições intactas e um total de R$ 3.617,00 em espécie. A idade de Antônio Maia não foi divulgada.

 

O quarto preso foi Luiz Audir Alves, após a PRF encontrar 200 litros de óleo diesel, 20 galões de gasolina, 20 botijões de gás liquefeito de petróleo (GLP), possivelmente adulterados. Outras duas pessoas não foram localizadas e, portanto, não tiveram prisão em flagrante decretada. No entanto, segundo a PRF, elas devem responder ao inquérito policial.

 

O combustível adulterado era vendido, conforme a PRF, para motoristas e postos da região a um preço bem abaixo do praticado pelo mercado. A ação foi desencadeada a partir de denúncias de que haveria a prática de desvio e furto de combustíveis de caminhões que transitam pela BR-116.

 

Segundo a PRF, houve informações de que estariam sendo desviados caminhões comuns (tanques de consumo) ou caminhões-tanque (carga principal) para os locais mapeados, onde ocorria a transferência do combustível para outros veículos, galões ou depósitos.

 

A Superintendência Estadual do Meio Ambiente (Semace), através da Diretoria de Fiscalização, informou, através de nota, que deve receber o relatório feito pela PRF, em relação à operação e deverá tomar as medidas cabíveis. Entre elas, está a aplicação de multas.

 

Veja o vídeo da chegada da Polícia Rodoviária Federal no distrito de Cristais em opovo.com.br/videos

 

Saiba mais

 

Os pontos visitados pela Polícia Rodoviária Federal, nesta operação, foram: sítio Bom Jardim em Ocara; Cascavel, na BR-116 km 91; Distrito de Cristais, em Cascavel e um fazenda no distrito de Tauiu, em Beberibe.

 

O nome da operação vem da octanagem, que é a medida de resistência do combustível à pressão que ele sofre dentro da câmara de combustão do motor. Ou seja, é a capacidade que ele tem de resistir, em mistura com o ar, ao aumento de pressão e de temperatura sem detonar.

Fonte: Jornal O Povo