FELIZ PÁSCOA

ANTT fiscaliza tabela de frete em Ourinhos (SP)

A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) realizou, de 9 a 14/4, em Ourinhos (SP), operação de fiscalização em veículos de cargas, com o objetivo especial de verificar a aplicação da Política Nacional de Pisos Mínimos, conhecida como tabela do frete. Foram emitidas 139 autuações relativas ao descumprimento da tabela mínima de frete, 77 referentes ao vale-pedágio, 21 sobre produtos perigosos, 14 sobre pagamento eletrônico de frete e oito a respeito do Registro Nacional de Transportador Rodoviário de Cargas (RNTRC).

A ANTT vem intensificando a fiscalização em seus postos de pesagem com foco na aplicação da tabela do frete, além de outras ações pontuais. Denúncias podem ser encaminhadas ao canal de ouvidoria da ANTT pelo telefone 166 ou e-mail ouvidoria@antt.gov.br.

Histórico – A ANTT publicou, por meio da Resolução ANTT nº 5820/2018, as tabelas com os pisos mínimos referentes ao quilômetro rodado na realização de fretes, por eixo carregado. As tabelas têm caráter obrigatório para o mercado de fretes do país. Foram elaboradas em conformidade com as especificidades das cargas e estão divididas em: carga geral, a granel, frigorificada, perigosa e neogranel. A metodologia utilizada para definição dos preços mínimos baseou-se no levantamento dos principais custos fixos e variáveis envolvidos na atividade de transporte.

Fonte: ANTT

O Governo precisa conhecer mais o Sistema S, diz Ricardo Cavalcante

Fonte: Jornal O Povo

Eleição na Fiec | Diretor administrativo da entidade, ele vai ser aclamado hoje como presidente da Fiec para mandato de cinco anos, que se inicia em setembro. Até lá continua o comando de Beto Studart

RICARDO Cavalcante está há nove anos como diretor na Fiec (Foto: DIVULGAÇÃO)

Em setembro de 2019 a Federação das Indústrias do Estado (Fiec) terá nova gestão. Com apenas uma chapa, encabeçada por Ricardo Cavalcante, a aclamação do então diretor administrativo da Fiec para o comando da entidade já acontece hoje, às 9 horas, no auditório Waldyr Diogo. O empresário da cadeia da construção civil é nome indicado por Beto Studart, presidente da Federação no Ceará. São 37 dos 39 sindicatos na composição da chamada Chapa Fiec Unida.

Carlos Prado, Roseane Medeiros, Jaime Belicanta e André Montenegro compõem a Vice-Presidência. Os delegados representantes dos sindicatos filiados à Federação vão, um a um, aclamar Ricardo como presidente por cinco anos. Em entrevista ao O POVO, ele fala sobre o que se pode esperar da nova administração da Fiec, corte do Sistema S, relacionamento com governos e a importância do Banco do Nordeste (BNB).

OP – Qual é a gestão que o senhor pretende implantar e como construirá sua marca própria?

Ricardo Cavalcante – Eu faço parte da gestão atual, sou diretor administrativo, que é um cargo que já participa muito. A partir de agosto vou fazer o planejamento estratégico junto com a Diretoria para nossa gestão. Tem três coisas que eu já vou fazer a partir de setembro: tornar a Fiec referência de dados para estudo do setor industrial. Estamos hoje em uma época de formação e transformação no mundo inteiro e a gente precisa deixar nossos industriais com conhecimento do mercado. Estamos falando de indústria 4.0, inovação, tecnologia. Segundo seria uma atuação mais forte no Interior. Quero agir nas macrorregiões. O terceiro eu poderia dizer que é esse nosso diálogo que a gente tem hoje com os entes públicos, seja municipal ou estadual ou federal, que a gente continue. A indústria passa hoje por momentos, que, sempre que há alteração de lei de alguns desses entes, vem, às vezes, para prejudicar ou, às vezes, até para ajudar. Seja Fortaleza, Região Metropolitana ou Interior, o importante é sempre estamos defendendo a indústria.

OP – Que tipos de leis precisam ser modificados?

Ricardo Cavalcante – A indústria o comércio, os empresários em si, é quem pagam os impostos e é quem geram riqueza para o País. Então, a gente precisa, primeiro fazer com que os nossos deputados estaduais, vereadores, deputados federais, senadores conheçam um pouco mais a nossa real situação. E esse trabalho eu vou fazer, vou mostrar o que é hoje o sistema industrial no Ceará e o que a Fiec vai fazer. Eu vou trabalhar muito, porque suceder o Beto não é fácil. Ele revolucionou, fez tudo com muito trabalho e dedicação e é o que eu farei. A gestão dele foi transformadora em todas as áreas, tanto na de gestão como na física, com as obras feitas. Ele fez uma gestão magnífica.

OP – Na gestão Beto Studart, a Fiec enxugou o quadro de funcionários. O senhor pretende expandir esse enxugamento?

Ricardo Cavalcante – Eu acho que a casa está regularizada, tudo no equilíbrio. Se fosse para ter corte seria por parte do Governo Federal. O próprio (Paulo) Guedes (ministro da Economia) fala em corte do Sistema S. Estamos dentro do Sistema S, então, se houver algum corte seria pelo Governo Federal. Espero que isso não aconteça. O Governo precisa conhecer mais o que é o Sistema S. No Ceará, hoje, eu poderia dizer, a Fiec é uma das quatro, cinco melhores federações do Brasil em tudo.

OP – Então como o governo deveria tratar em relação ao Sistema S?

Ricardo Cavalcante – Eu tento falar aqui por nós do Ceará, porque da CNI (Confederação Nacional da Indústria) eu só irei participar a partir de setembro, então, em relação ao nacional não teria tanto para falar. Mas tirando pelo exemplo da Fiec, temos um trabalho magnífico para todos os setores, temos instituto de inovação, o próprio Senai (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial), trabalho muito bom na área eletrometalmecânica, de energias renováveis, e também um trabalho muito grande junto a toda a indústria cearense. Eu acho que o governo precisa conhecer um pouco mais o que o Sistema S faz. Ele cita como se fosse dinheiro público, mas é privado. Ele é pago pelas empresas junto às casas Sesi (Serviço Social da Indústria) e Senai pela indústria.

OP – E como fica a posição da Fiec em relação ao silêncio do Governo Federal ao Banco do Nordeste?

Ricardo Cavalcante – O BNB é fundamental para o Nordeste. O governo está demorando a dar resposta. Sociedade, governadores, deputados, todos nós, entidades de classe somos a favor do banco. Ele é grande vetor para animar a economia do Nordeste. Esperamos que o mais breve possível o governo indique seu futuro presidente e que possa desenvolver novos projetos. Quem for contra não conhece nenhum pouco ou quase nada do trabalho do banco. A Fiec hoje, graças a Deus, está à frente de todas as coisas da área industrial. Estamos atentos aos hubs aéreo, do porto, dos cabos. Temos todos os ingredientes para fazer um belíssimo bolo. Você vê também o aeroporto de Juazeiro do Norte que foi concedido, então, imagina o quanto aquela região ali vai crescer.

OP – Em relação ao Governo do Estado, o que vai mudar?

Ricardo Cavalcante – Precisamos continuar esse trabalho de diálogo. Numa das maiores crises econômicas que o País já passou, fomos bem porque houve diálogo. Temos hoje 39 setores na Federação, um totalmente diferente do outro. São setores diferenciados e sem diálogo não conseguimos ouvir. Esse diálogo tem acontecido de forma estratégica e notamos que todos os sindicatos e empresários querem isso. O governador Camilo Santana (PT), essa aproximação que foi feita, digo isso porque faço parte da gestão atual, eu mesmo já fui várias vezes, com vários empresários, a maioria foi o Beto, mas o fato é que juntos encontramos saídas maravilhosas. Então precisamos de mais diálogo e menos política.

OP – O senhor fala da polarização política?

Ricardo Cavalcante – Eu não diria polarização, mas para que a gente possa voltar para a discussão de resultados. Quando você vai fazer qualquer discussão, a solução pode não ser a melhor para mim ou para o empresário, às vezes, ou para o governo, mas é o que a gente pode conseguir no momento. Então, com esse diálogo temos melhorado muito.

OP – Foi cogitada a candidatura de Alexandre Pereira (1° vice-presidente da Fiec), mas acabou em chapa única…

Ricardo Cavalcante – Nós esperávamos eleição, que fosse haver outra chapa, mas nós nos sentamos e, no grupo que temos hoje, dos 39 sindicatos, 37 estão dentro da minha chapa. Todos os empresários do Ceará podem ser candidatos. Mas houve isso, a convergência para o meu nome. É uma responsabilidade muito grande, mas a gente tem que ter humildade muito grande para encarar esse desafio.

OP – Além da indicação do Beto, por que o senhor acha que o seu nome foi escolhido?

Ricardo Cavalcante – Posso dizer que eu sou um líder. Já fui presidente de sindicato, sempre respeitei muito o associativismo. Posso dizer que conheço todos os 39 sindicatos e diria que sei 90% de todos os problemas e a gente sempre senta para discutir e, principalmente, resolver. Eu estou na Federação há 27 anos, nos últimos nove anos e meio como diretor, conheço a casa, conheço bem. A melhor coisa do mundo é ter um ambiente no qual a gente se sente bem e os empresários se sentem acolhidos. Essa gestão do Beto foi corada, porque, nesse momento do País, conseguimos deixar o empresariado animado.

Perfil

Ricardo Cavalcante (sobrenome que vem do Crato) nasceu em Fortaleza, tem 57 anos, e hoje é presidente do Sindicato das Indústrias da Extração de Minerais Não Metálicos e de Diamantes e Pedras Preciosas, de Areias, Barreiras e Calcários no Estado do Ceará (Sindminerais-CE), diretor administrativo da Fiec e presidente do Conselho Deliberativo do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresa (Sebrae). Há 30 anos na atividade industrial, ele está à frente da Empresa de Mineração Granitos de Itaitinga (EMGI), especializada na extração, no comércio e na distribuição de areia peneirada e classificada para o mercado da construção civil.

Chapa Fiec Unida – Quadriênio 2019/2024

DIRETORIA PLENA

Presidente: José Ricardo Montenegro Cavalcante

1º vice-presidente: Carlos Prado

Três vice-presidentes: André Montenegro de Holanda, Roseane oliveira de Medeiros e Jaime Belicanta

Diretor administrativo: Luiz Francisco Juaçaba Esteves

Diretor adm. Adjunto: Germano Maia Pinto

Diretor financeiro: Edgar Gadelha Pereira Filho

Diretor financeiro adjunto: José Agostinho Carneiro de Alcântara

DIRETORES

Pedro Alcântara Rêgo de Lima, Marco Aurélio Norões Tavares, Rafael Barroso Cabral, Benildo Aguiar, Francisco Eulálio Santiago Costa, Flavio Norberto de Lima Oliveira, Ângelo Márcio Nunes de Oliveira, Maria de Fátima Facundo Soares, José Antunes Fonseca da Mota, Carlos Rubens Araújo Alencar, Francisco Ozina Lima Costa, André de Freitas Siqueira, Francisco Lélio Matias Pereira, Lauro Martins de Oliveira Filho, Aluisio da Silva Ramalho Filho, Paulo César Vieira Gurgel

CONSELHO FISCAL

Marcos Silva Montenegro, Pedro Alfredo da Silva Neto, Marcos Augusto Nogueira de Albuquerque (efetivos); Marcelo Guimarães Tavares, Roberto Romero Ramos, Ricard Pereira da Silva (suplentes)

DELEGADOS REPRESENTANTES
JUNTO À CNI

Jorge Alberto Vieira Studart Gomes, José Ricardo Montenegro Cavalcante (efetivos); Roberto Proença de Macêdo, Carlos Prado (suplentes)

BEATRIZ CAVALCANTE

Setcarce promove café da manhã e celebra 77 anos de atuação em transporte e logística

Celebrando seus 77 anos de história e atuação em transporte e logística no Ceará, o Sindicato das Empresas de Transportes de Cargas e Logística do Estado Ceará reuniu seus associados para uma manhã especial. Os convidados foram recebidos com um café da manhã na sede da entidade e participaram de uma homenagem ao presidente da Setcarce, Clovis Nogueira Bezerra, pelo reconhecimento aos anos de dedicação a frente do sindicato. Na ocasião, ele pilotou a reunião de diretoria e debateu sobre a Expolog, além da parceria firmada entre o Porto do Pecém e de Roterdã, que deu um novo impulso ao setor.

Sistema CNT promove capacitação sobre a revolução do big data no transporte

Fonte: CNT
Capacitação

Os dados estão presentes de formas cada vez mais variadas, abundantes e velozes e são essenciais na tomada de decisão. Nestas quinta e sexta-feiras (11 e 12 de abril), representantes e executivos do transporte participam de um workshop promovido pelo Sistema CNT – Confederação Nacional do Transporte, SEST SENAT e Instituto de Transporte e Logística – sobre como os dados estão revolucionando o setor.

 

O Coordenador do Instituto COMJOVEM de Desenvolvimento Mercadológico, Marcelo Rodrigues, participa juntamente com a Vice-coordenadora do Núcleo da COMJOVEM de Porto Alegre, Thais Bandeira, e a Vice-Coordenadora do Núcleo da COMJOVEM do Rio de Janeiro, Raisa Drumond.

 

56744681 1582964608502727 4913223375788179456 o

Com o tema “Data driven leadership – Big data Revolution no setor de transportes”, a capacitação aborda temas como o pensamento analítico, habilidades analíticas, o pensamento guiado por dados e os pilares da era analítica. “Nosso objetivo é desenvolver e explorar o potencial do pensamento analítico para tornar o setor mais competitivo, para oferecer serviços cada vez mais customizados, com qualidade de eficiência”, disse o presidente da CNT, Vander Costa, na abertura do workshop.

 

56775623 1582964575169397 7482705500698574848 n

O desafio das organizações é transformar os dados disponíveis em informação para a tomada de decisões de maneira ampla e integrada. Isso passa pelo desenvolvimento de uma cultura analítica. “Cultura analítica não é sobre tecnologia. A tecnologia ajuda, acelera e dá as ferramentas. Mas o pensamento analítico tem a ver com o uso dos dados dentro do negócio. Eles geram melhores produtos, para mais consumidores, que geram mais dados, que demandam análises melhores. Pessoas, processos, aprendizado e tecnologia fazem parte desse processo”, explica Ricardo Cappra, cientista de dados que ministra o workshop.

O evento é realizado pela HSM e promovido pelo SEST SENAT, que tem investido na qualificação de gestores e executivos do setor de transporte, para prepará-los para os desafios e as oportunidades que surgem com as novas tecnologias.

Presidente da CNT se reúne com o ministro da Infraestrutura

Fonte: CNT

O presidente da CNT, Vander Costa, se encontrou, nessa segunda-feira (8), com o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes. Durante o encontro, Vander Costa entregou estudos elaborados pela Confederação que elencam as obras prioritárias para o setor de transporte.

No material O transporte move o Brasil – resumo das propostas da CNT ao país, a Confederação apresenta a necessidade de investir ao menos R$ 1,7 trilhão em obras de infraestrutura para transformar e dinamizar o transporte e a logística no Brasil, adequando a oferta às demandas que o país possui.

“É inegável que temos um enorme potencial de desenvolvimento, mas precisamos de ações que transmitam segurança aos investidores, ao setor produtivo e à população como um todo. Acreditamos que a fórmula ‘planejamento, desburocratização e investimento’ precisa ser equacionada”, afirma Vander Costa.

Na visão dele, os primeiros resultados do novo programa de concessões, já iniciado pelo governo federal, sinalizam para uma nova era na relação do Estado com a iniciativa privada. “Estamos certos de que esse é o caminho para o Brasil, avançar em direção ao futuro que se vislumbra. E também temos consciência de que, só com o fortalecimento do setor de transporte, o país conseguirá construir seu caminho de progresso e prosperidade.”

O ministro Tarcísio Gomes disse que o governo está aberto ao diálogo e disposto a trabalhar para resolver os problemas que afetam o setor de transporte. “O ministério está fazendo a sua parte na estruturação de projetos para a transferência de ativos para a iniciativa privada. Isso vai liberar orçamento para investimento em regiões onde a iniciativa privada não vai chegar. Eu tenho certeza que o crescimento econômico virá e será acompanhado de provisão de infraestrutura”, afirmou ele.

Entre as ações prioritárias para este ano, o ministro citou a concessão de rodovias como a BR-153, BR-381, BR-262, BR-470 e BR-101. A novidade anunciada por ele na nova modelagem é a exigência da construção de pontos de parada nos contratos de concessão. “Precisamos oferecer aos motoristas um lugar adequado para a alimentação e o descanso.” Na continuidade do programa, o ministro ainda destacou um estudo que está sendo conduzido pelo BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) para a concessão de mais 5.600 km de rodovias, além de duas novas ferrovias, terminais portuários e mais 22 aeroportos, divididos em três blocos.

SEST SENAT

Durante o encontro, Vander Costa, que também é presidente dos Conselhos Nacionais do SEST  e do SENAT, detalhou ao ministro o trabalho que as instituições vêm desenvolvendo para oferecer mais qualificação profissional e melhores condições de saúde para os trabalhadores do transporte.

Um dos destaques da apresentação foi a ação que o SEST SENAT realiza durante a Semana Mundial de Saúde. Até sexta-feira (12), equipes de fisioterapeutas, dentistas, nutricionistas, psicólogos e instrutores estarão em mais de 70 pontos nas rodovias de todo o país levando atendimentos e orientações gratuitas aos caminhoneiros. Veja aqui a lista completa das localidades.

Em 25 anos de atuação, o SEST SENAT já realizou mais 129 milhões de atendimentos aos trabalhadores do transporte, seus dependentes e a comunidade. A instituição tem como missão transformar a realidade do transporte nacional e elevar a competitividade dos transportadores por meio da educação profissional e da promoção da saúde e da qualidade de vida.

Medalha JK

Na oportunidade, o presidente Vander Costa ainda entregou ao ministro a Ordem do Mérito do Transporte – Medalha JK. Tarcísio Gomes, que não pode comparecer à cerimônia realizada no dia 27 de março, foi um dos 15 agraciados pela atuação em prol do transporte em 2018. Ele recebeu a honraria no grau Grande Oficial.

Decreto em Minas regulamenta o transporte de produtos perigosos

Fonte: FETCESP
Produto Perigoso

Foi publicado o Decreto nº. 47.629 em 1º de abril de 2.019 no Estado de Minas Gerais, que regulamenta a Lei nº. 22.805/17, estabelecendo medidas referentes a acidentes no transporte de produtos ou resíduos perigosos.

–  os expedidores, contratantes do transporte devem disponibilizar plantão de atendimento 24 horas para acionamento imediato em caso de acidentes e emergências, independentemente do serviço mantido pelo transportador.

–   o transportador deve manter diretamente ou por meio de empresa especializada, serviço de atendimento a emergência; capaz de:
Iniciar as primeiras ações emergenciais em até duas horas da ocorrência do acidente.

Essas ações consistem em:

– disponibilizar no local do sinistro os recursos apropriados para desobstrução da via e iniciar os procedimentos para transbordo, inertização, neutralização e demais métodos físicos, químicos e físico-químicos de mitigação, limpeza do local e remoção dos veículos sinistrados, em até quatro horas da ocorrência do acidente, caso ocorrido nas regiões metropolitanas, e em até oito horas nas demais localidades, salvo ocorrência de caso fortuito ou força maior;

– iniciar as ações de remoção dos resíduos e de descontaminação do ambiente do entorno do local do acidente em até vinte e quatro horas após a conclusão das atividades previstas acima.

O decreto também determina que os veículos utilizados nesse transporte, deverão trafegar com avisos afixados na parte externa, em local visível, com o número do plantão de atendimento a emergências do transportador e portar uma cópia resumida do PAE – Plano de Atendimento a Emergência, em meio físico ou digital.

As regras não se aplicam ao transporte de produtos perigosos fracionados, em quantidades limitadas por veículos, nos termos da Resolução da ANTT nº. 5.232/16.

Os transportadores, contratantes ou expedidores terão prazo de até 180 dias corridos, a partir da data de publicação do decreto, para se adequarem às novas regras.

O cadastro do serviço de atendimento a emergência, deve ser feito junto ao órgão ambiental , por meio eletrônico, no prazo de 90 dias corridos, a partir da publicação do decreto.

As empresas que fazem seu próprio atendimento à emergência devem se atentar ao prazo de 90 dias.

Por Sandra Caravieri, assessoria técnica da FETCESP

 

LINHAS FIXAS DE TELEFONES DO SETCARCE (85-3276.4118-3474.3846) VOLTAM A FUNCIONAR

A operadora OI solucionou os problemas com as linhas de telefones fixos do SETCARCE.

Estão funcionando normalmente:

Linhas Fixas:  (85) 3276.4118 – 3474.3846

Linhas Móveis: (85) 98685.4594 – Oi – (85) 9820.0339 – Tim – Whatsapp

 

 

Publicado aviso da audiência pública dos pisos mínimos de frete

A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) publicou, na segunda-feira (8/4), no Diário Oficial da União (DOU), o aviso da Audiência Pública nº 2/2019, com o objetivo de estabelecer as regras gerais, a metodologia e os indicadores dos pisos mínimos, referentes ao quilômetro rodado na realização de fretes, por eixo carregado, instituído pela Política Nacional de Pisos Mínimos do Transporte Rodoviário de Cargas – PNPM-TRC.

O período para envio das contribuições será das 9 horas (horário de Brasília) do dia 09 de abril de 2019, até as 18 horas (horário de Brasília) do dia 24 de maio de 2019.

Serão realizadas as seguintes Sessões Presenciais:

Belém – PA: Hotel Sagres

Data: 08 de maio de 2019

Horário: 14h00 às 18h00

Endereço: Av. Governador José Malcher, n° 2.927, São Brás, Belém-PA, CEP 66.090-100

Capacidade: 450 lugares

 

Recife – PE: Onda Mar Hotel

Data: 10 de maio de 2019

Horário: 14h00 às 18h00

Endereço: Rua Ernesto de Paula Santos, nº 284, Boa Viagem, – Recife – PE, CEP: 51.021-330

Capacidade: 450 lugares

 

São Paulo – SP: Hotel Nikkey Palace

Data: 14 de maio de 2019

Horário: 14h00 às 18h00

Endereço: R. Galvão Bueno, nº 425 – Liberdade, São Paulo – SP, CEP: 01.506-000

Capacidade: 400 lugares

 

Porto Alegre – RS: Hotel São Rafael

Data: 16 de maio de 2019

Horário: 14h00 às 18h00

Endereço: Av. Alberto Bins, nº 514 – Centro Histórico, Porto Alegre – RS, CEP: 90.030-140

Capacidade: 450 lugares

 

Brasília – DF: Edifício sede da ANTT – Auditório Eliseu Resende

Data: 23 de maio de 2019

Horário: 14h00 às 18h00

Endereço: SCES, Lote 10, Trecho 03 – Projeto Orla 8 – Brasília/DF, CEP: 70.200- 003

Capacidade: 300 lugares

As informações específicas sobre a matéria, bem como as orientações sobre os procedimentos relacionados à realização e participação da Audiência, estarão disponíveis, na íntegra, no sítio http://www.antt.gov.br, até às 09:00 do dia 09 de abril de 2019. Informações e esclarecimentos adicionais poderão ser obtidos pelo e-mail ap002.2019@antt.gov.br.

Fonte: ANTT – 08/04/2019